Como-funciona-uma-Corporate-Venture-Capital-CVC-Parte-3

Corporate Venture Capital (CVC) – Parte 3

Esta é a terceira parte de uma série de postagens que exploram como funciona uma Corporate Venture Capital . Neste post, vamos falar sobre as vantagens que a Corporate Venture Capital tem ao ao investir com Venture Capitalists e também sobre como funciona o processo de recrutamento de executivos para a CVC.

Corporate Venture Capital (CVC) e Venture Capitalists se complementam

Para chegar ao ponto de criar uma CVC, a empresa precisa desenvolver bom relacionamento com todo ecossistema de startups e todos os seus players. Todos esses relacionamento são produtivos e trazem muito mais do que dinheiro para a mesa em todas as partes. 

Um dos players desse ecossistema, no entanto, é especialmente importante para a Corporate Venture Capital – o Venture Capitalist.  Tirando o fato óbvio de que, ao investirem juntos em uma startup, a CVC e o VC diluem o risco, eles também obtêm as melhores oportunidades de investimento, agregam conhecimento e reduzem o oportunismo.

Quais as vantagens do investimento conjunto para a Corporate Venture Capital (CVC)

Quando CVC e VC investem juntos ocorre um complemento de habilidades. A Corporate Venture Capital adiciona seu conhecimento de mercado, de aplicabilidade da solução e de tecnologia à perspectiva mais orientada aos resultados financeiros do Venture Capitalist. 

Isto ajuda a manter o equilíbrio financeiro e estratégico para as duas partes, ao mesmo tempo que dilui os riscos de investimento e diminui perdas corporativas por investimentos ruins.

Entre as principais vantagens que a Corporate Venture Capital tem ao  investir em conjunto com VCs temos:

  • Melhor seleção do negócio, já que duas perspectivas analisam a mesma oportunidade.
  • Redução do oportunismo. A CVC com sua experiência de mercado e o VC com sua experiência de empreendedor conseguem logo diferenciar oportunidades reais de oportunismo.
  • Melhor balanço entre objetivos financeiros e estratégicos. A CVC tende a focar mais nos negócios e VCs tendem a focar mais no financeiro.
  • Melhor networking. Ambas as partes recebem propostas do mercado e esta sinergia melhora o relacionamento das duas no ecossistema.
  • Redução de perdas corporativas. Menor impacto causado por investimentos ruins.

Quem são os executivos que estão por trás da Corporate Venture Capital

Para a CVC fazer bons investimentos ela depende muito do perfil de profissional que está por trás da seleção desses investimentos. Por isso, é essencial entender qual deve ser o perfil do executivo de uma Corporate Venture Capital, seu processo de seleção e também suas responsabilidades.

Para que o executivo responsável pela Corporate Venture Capital compreenda de fato os projetos e objetivos da empresa o ideal é que ele tenha feito parte da empresa mãe por anos. 

Claramente, então, o recrutamento desse profissional deve começar com uma pesquisa interna no pool de profissionais que a empresa mãe possui. 

É preciso selecionar os que têm os seguintes requisitos: 

  • Posição sênior de liderança
  • Bom conhecimento Institucional
  • Boas conexões com o mercado e bom networking
  • Bom engajamento com os stakeholders
  • Conhecimento em tecnologia
  • Conhecimento financeiro.

O profissional selecionado normalmente recebe o título de “diretor de investimentos”. Empresas grandes como a Intel normalmente têm um diretor de investimento por área de negócios. Já as empresas que estão começando, independentemente do tamanho, normalmente têm um ou dois diretores de investimentos apoiados pela equipe interna de negócios.

É super importante que esse profissional consiga navegar dentro da empresa. Ele deve ter influência nas áreas de negócio para criar sinergia entre elas e o portfólio de startups.

O conhecimento financeiro também é indispensável porque esse profissional vai gerir um fundo de investimentos que varia entre 20 e 80 milhões de dólares, no caso de empresas que estão começando. Apesar de serem mundos diferentes, em muitos casos o profissional que atua na CVC passou antes por M&A.

O que faz o diretor de investimentos da CVC

Entre as principais responsabilidades do diretor de investimentos de uma Corporate Venture Capital temos:

  • Compartilhamento de metas com as áreas de negócios
    Desta forma se garante que a função estratégica da CVC está sendo cumprida, que a matriz não está gastando esforços com iniciativas que já existem no mercado e que as duas estão se esforçando para criar sinergias.
  • Co-responsabilidade pelas decisões de negócio da matriz.
  • Sinergia com a tesouraria
  • Fazer parte do fluxo de informações da empresa
    Por isso tem que ser um profissional sênior e com influência na matriz.
  • Gerenciamento do staff
    • Finanças
    • Negócios
    • Investimentos
    • Legal

O que já falamos sobre Corporate Venture Capital (CVC)

Para quem não lembra , em nosso primeiro artigo sobre Corporate Venture Capital falamos sobre diferenças entre uma Corporate Venture Capital e uma Venture Capital, abordamos os principais pontos de interesse de uma empresa que possui um CVC e também uma relação de troca (Gives and Gets) entre Corporate Capital de risco e startup.

No segundo artigo, abordamos o processo de gerenciamento de portfólio, mostrando como funciona a composição do board de uma startup quando é investida por uma CVC, os tipos de apoio que a CVC dá às startups e como funciona o gerenciamento de portfólio.

No próximo post, Como funciona uma Corporate Venture Capital (CVC) – Parte 4, falaremos sobre Processo de Investimento.

Siga o blog e acompanhe as próximas postagens. 

Se você quiser saber como acelerar a transformação digital de sua empresa com startups, entre em contato comigo pelo contact@innovationintelligence.ai. Eu e meu time temos prazer em ajudar!